DICA DO DREÓLOGO: Diferenças entre vinhos Orgânicos, Biodinâmicos, Naturais e Veganos

 

 

Muito se fala sobre os benefícios e diferenciais dos vinhos orgânicos, biodinâmicos, naturais e Veganos. Mas você sabe a diferença entre eles? Pensando nisso, preparamos um post pra você fazer bonito tanto na hora de escolher, quanto de adentrar aquele papo repleto de magia e enologia.


 

Vinhos Orgânicos

 

Os vinhos orgânicos têm suas raízes na agricultura menos invasiva, com restrições de agentes químicos. São feitos a partir de uvas cultivadas de forma orgânica, ou seja: sem o uso de agrotóxicos no vinhedo. Seu manejo se baseia em produtos naturais e em equilíbrio biológico, para impedir o surgimento de insetos, fungos, ervas daninhas e outras ameaças à vinha. 

 

Uma das principais preocupações da cultura orgânica está no solo. Os produtores evitam substâncias que não sejam naturais para regular o terreno e a vinha. Sua preocupação final é o(a) consumidor(a), que não deve ingerir pesticidas residuais por meio do vinho. 

 

Esse tipo de cultivo é regido por órgãos certificadores e fiscalizadores de todo o processo. De acordo com a região, as regras podem ser mais ou menos rígidas. Há países que não permitem absolutamente nenhum aditivo químico no processo. Em outros, é permitido ao vinicultor utilizar acidificantes e anidrido sulfuroso - também conhecido como dióxido de enxofre, produto de ação antisséptica e conservante.


 

Vinhos Biodinâmicos

 

Os vinhos biodinâmicos também são feitos a partir de uvas de cultivo orgânico. Mas aqui temos um plus:  seus produtores seguem a filosofia antroposófica, proposta em 1924 por Rudolf Steiner, que além de filósofo era educador e esoterista. 

 

De acordo com os princípios da filosofia de Steiner, uma fazenda agrícola deve buscar ser um ambiente totalmente auto sustentável, em harmonia com o cosmo, com a mínima interferência do homem, para que a terra possa recuperar sua energia vital e produzir frutos que expressem as características próprias do local. 

 

Assim acontece com a agricultura orgânica, existem órgãos para regular e autenticar os poucos produtores que se aventuram na agricultura biodinâmica. Um dos principais nomes dessa prática é o da vinícola francesa Domaine de La Romanée-Conti, que faz alguns dos vinhos mais famosos, míticos (e caros) do mundo.


 

Vinhos Naturais

 

Os vinhos naturais são basicamente o mosto da uva de vinhas orgânicas que fermentaram com leveduras naturais, e sem qualquer intervenção. Dessa forma, o enxofre é quase sempre banido e muitos se opõem ao uso do envelhecimento em carvalho. 

 

Além de utilizar uvas de cultivo orgânico, o vinho natural tem como principal característica a ausência de qualquer composto adicionado à bebida, inclusive o anidrido sulfuroso. Essas práticas resultam em vinhos bastante sensíveis e instáveis. Sem a ação antisséptica e conservante do dióxido de enxofre, o produtor precisa redobrar os cuidados com higiene na vinícola. No entanto, ainda não há uma regulamentação sobre o uso do termo “vinho natural”, e cada produtor pode interpretar da maneira que quiser. 


 

Vinhos Veganos

 

Para um vinho ser considerado vegano, é necessário que esteja isento de agentes de origem animal. E o que poucos imaginam é que isso é comum nos vinhos do mundo todo. O exemplo mais habitual é o uso da albumina (clara de ovo), caseína (proteína do leite) ou gelatina (origem bovina ou suína), utilizados na clarificação do vinho. 

 

Desta forma, as vinícolas que produzem vinho vegano garantem o consumo seguro para quem é vegano, e portanto consome apenas alimentos livres de derivados de origem animal.


 

E agora, José?

 

Bem, apesar de todos os esforços dos produtores de vinhos orgânicos, biodinâmicos, naturais ou veganos, não há como afirmar que esses vinhos sejam mais ou menos saborosos que aqueles elaborados de forma “convencional”. No fim das contas, quem decide isso é você e mais ninguém. Contudo, saber como o vinho foi feito e o nível de cuidados dispensados ao tratamento das uvas sempre implicarão em uma impressão diferente sobre o que estamos consumindo. O Meio Ambiente agradece.